sexta-feira, 27 de julho de 2018

A Rapariga do Antes

sexta-feira, 27 de julho de 2018
Um trillher bastante empolgante, cuja narrrativa se centra em duas personagens que habitaram a mesma casa em alturas diferentes.
Recomendo.



Ficha Técnica
Título - A Rapariga do Antes
Autor - J. P. Delaney
Editora - Suma de Letras
ISBN - 9789896656157
Género - Policial e Espionagem/Thriller
Sinopse - A tentar recuperar do final traumático de um relacionamento, Emma quer um lugar novo para viver. A casa que fica no n.º 1 de Folgate Street é uma obra-prima da arquitectura. O espaço está destinado a transformar o seu ocupante, e é precisamente o que faz.
Quando Jane encontra o n.º 1 de Folgate Street é instantaneamente atraída para o espaço. Depois de se mudar, Jane sabe da morte inesperada do inquilino anterior. Enquanto tenta descobrir o que realmente aconteceu, Jane repete involuntariamente os mesmos padrões, faz as mesmas escolhas e experimenta o mesmo terror que A Rapariga de Antes.
Em adaptação para cinema pelo famoso realizador Ron Howard.

quarta-feira, 25 de julho de 2018

JP Delaney

quarta-feira, 25 de julho de 2018

A Rapariga de Antes é o primeiro thriller psicológico de JP Delaney, pseudónimo de Tony Strong, um escritor de sucesso de outros livros de ficção e que é também diretor criativo numa das maiores agências de publicidade do Reino Unido.

A Rapariga de Antes foi publicado em Janeiro de 2017 nos Estados Unidos, a primeira de mais de 30 edições estrangeiras. O filme baseado neste romance será levado ao grande ecrã pelo realizador Ron Howard (Apollo 13, Uma Mente Brilhante, O Código DaVinci, etc.).

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Novidades de Julho: Calvin Esparguete, a história extraordinária do gato mais famoso de Lisboa

quinta-feira, 19 de julho de 2018
Ainda não conhece a extraordinária história de Calvin Esparguete, o gato que anda de autocarro, descansa nas luxuosas lojas de marca da Avenida da Liberdade e adora fiambre, os bifes do vizinho do primeiro andar ou a comidinha da peixeira. Pode descobri-la no livro Diário de um Gato Citadino, escrito pela jornalista Filomena Lança, uma edição Dom Quixote, que a partir de amanhã estará à venda em todo o país.
Calvin é um gato cinzento, gordo, de olhos esverdeados e ar sério e maldisposto ou ternurento e simpático, consoante esteja ou não com fome e queira ou não que lhe abram a porta para ir à rua. Tem uma história que contada ninguém acredita. Mora numa colina de Santana, que fica do lado esquerdo da Avenida da Liberdade, perto da Baixa. Tem na coleira o número de telefone dos donos que, graças aos telefonemas dos novos amigos que vai fazendo, sabem sempre onde é que ele anda. Ou quase sempre. Já ficou meses fora de casa, perdeu-se nos subúrbios e tiveram de o ir buscar a Santo António dos Cavaleiros ( o que para um gato é o mesmo que viajar até à China), passeou-se pelo Metro, foi estrela na Net e fez amigos entre os turistas.Um estudante de Eramus achou que era um gato vadio e fez dele a sua companhia nos seis meses que viveu em Lisboa. E ainda hoje pergunta por ele. Mas os médicos da morgue de um conhecido hospital da zona já nem estranham a sua presença. Alimentam-no, deixam-no dormir e, depois, telefonam aos donos para o irem buscar.
Calvin Esparguete, Diário de um Gato Citadino é a história das suas aventuras pela cidade, contada como só ele o poderia fazer. Não pense que tudo isto é produto da imaginação delirante da dona, a jornalista Filomena Lança, porque se trata de uma história real, com fotos e vídeos para provar. Só Hollywood é que ainda não reparou nele, mas Calvin já se porta como uma verdadeira "estrela".

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Novidades de Julho: A Filha de Cayetana, a história verdadeira da filha negra adoptada pela Duquesa de Alba

quarta-feira, 18 de julho de 2018
A Casa das Letras edita A Filha de Caeytana, a história verdadeira da filha negra adoptada pela Duquesa de Alba na Espanha do século XVIII, um romance histórico escrito pela uruguaia Carmen Posadas (escritora de sucessos como Pequenas Infâmias). A partir de hoje nas livrarias.
María del Pilar Teresa Cayetana de Silva y Álvarez de Toledo era uma "estrela" na corte de Carlos IV. Protagonista de uma vida de excessos, era excêntrica, osbtinada e livre, tal como o foi uma sua descendente, a 18.ª Duquesa de Alba que, morreu, em 2014, depois de sucessivos escândalos nas revistas cor-de-rosa, o último dos quais o casamento com o jovem motorista, aos 85 anos.
Musa de Goya, Cayetana tinha uma saúde frágil, era casada com um primo que não lhe ligada nenhuma e como não podia conceber filhos, adoptou uma menina de raça negra, María de la Luz Álvarez de Toledo, de olhos cor de esmeralda, a quem deixou em testamento a sua fortuna (documento que ainda existe), mas sobre quem pouco se sabe .Julga-se também que seja ela a mulher representada no famoso quadro de Goya, A Maja Nua, que pode ser visitado no Prado, visto que ambos foram muito amigos e o pintor nutria por ela enorme paixão. Uma aguarela em que Cayetana surge com a menina nos braços é outro dos documentos que sustentam esta história.
Foi a partir destes episódios que a escritora uruguaia, radicada em Espanha, Carmen Posadas, relata as peripécias das duas mães: a adoptiva com os seus amores e dramas na corte e a biológica, a cubana Trinidad, que, sendo escrava em Espanha, luta por encontrar a bebé que lhe foi retirada após o nascimento.

Carmen Posadas vive em Madrid desde 1965, embora tenha passado longos períodos em Moscovo, Buenos Aires e Londres, cidades onde o pai exerceu cargos diplomáticos. Começou por escrever para crianças e, em 1984, recebeu o Prémio do Ministério da Cultura espanhol para o melhor livro infantil desse ano. É ainda autora de ensaios, guiões de cinema e de televisão, de relatos e de vários romances, entre os quais se destaca Pequenas Infâmias, galardoado com o Prémio Planeta de 1998, e que foi objeto de críticas excelentes no The New York Times e no The Washington Post. Os seus livros foram traduzidos em 23 línguas e são publicados em mais de 40 países. Em 2002, a revista Newsweek aclamou Carmen Posadas como “uma das autoras latino-americanas mais relevantes da sua geração”.



segunda-feira, 16 de julho de 2018

O Meu Nome é Lucy Barton

segunda-feira, 16 de julho de 2018
Este é um livro que aborda as relações familiares, mais especificamente de mãe e filha, de uma forma que consegue cativar o leitor.
Recomendo.



Ficha Técnica
Título - O Meu Nome é Lucy Barton
Autor - Elizabeth Strout
Editora - Alfaguara Portugal
ISBN - 9789896651176
Género - Romance
Sinopse - Mais do que uma história de mãe e filha, este é um romance sobre as distâncias por vezes insuperáveis entre pessoas que deveriam estar próximas, sobre o peso dos não-ditos no seio das relações mais íntimas e sobre a solidão que todos sentimos alguma vez na vida. A entrelaçar esta narrativa está a voz da própria Lucy: tão observadora, sábia e profundamente humana como a da escritora que lhe dá forma.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Elizabeth Strout

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Elizabeth Stout é a autora de Abide with me, um bestseller nos Estados Unidos seleccionado pelo Book Sense, e de Amy and Isabelle, obra vencedora do Los Angeles Times Art Seidenbaum Award para o primeiro romance e do Chicago Tribune Heartland Prize. Também foi finalista do prémio PEN/Faulkner e do Orange Prize em Inglaterra. Os seus contos foram publicados em inúmeras revistas, entre as quais The New Yorker e O: The Oprah Magazine. Lecciona no Mestrado de Belas-Artes na Universidade de Queens em Charlotte, Carolina do Norte, e vive na cidade de Nova Iorque.

terça-feira, 10 de julho de 2018

Novidades Literárias Julho 2018

terça-feira, 10 de julho de 2018
As Cartas da Prisão de Nelson Mandela


Título: As Cartas da Prisão de Nelson Mandela
Autor: Nelson Mandela
Editora: Porto Editora
Sinopse: Preso em 1962, quando o regime do "apartheid " na África do Sul intensificava a sua campanha brutal contra os opositores políticos, o advogado e ativista do Congresso Nacional Africano Nelson Mandela, então com quarenta e quatro anos, não fazia a menor ideia de que passaria os vinte e sete anos seguintes na prisão.
Durante os seus 10 052 dias de encarceramento, o futuro líder da África do Sul escreveu uma imensa quantidade de cartas às inflexíveis autoridades prisionais, a companheiros ativistas, a responsáveis governamentais e, acima de tudo, à sua corajosa mulher, Winnie, e aos cinco filhos.
Agora, no centenário do seu nascimento, 255 dessas cartas, muitas das quais nunca antes tornadas públicas, são compiladas num volume que as organiza cronologicamente, dividindo-as pelas quatro instituições prisionais por onde passou até à sua libertação, a 11 de fevereiro de 1990. Ilustrado com reproduções de alguns dos seus escritos, este é um documento de um valor excecional para o conhecimento desta que foi uma das figuras mais inspiradoras do século XX, revelando-o como pai e marido extremoso, como um lutador incansável pelos direitos humanos e, acima de tudo, como homem de uma coragem imperturbável, que se recusou a comprometer os seus valores mesmo quando confrontado com um enorme sofrimento.

Sangue-Frio

Título: Sangue-Frio
Autor: Robert Bryndza (Autor)
Editora: Alma dos Livros
Sinopse:  Quando, nas margens do Tamisa, surge uma mala velha com o corpo desmembrado de um homem, a inspetora Erika Foster fica chocada. Já trabalhou em alguns casos assustadores, mas nunca vira nada assim antes. À medida que ela e a sua equipa começam a trabalhar, estabelecem uma ligação com outra vítima – o corpo de uma jovem abandonado numa mala idêntica duas semanas antes. Erika percebe rapidamente que está na pista de um assassino em série que já deu o passo seguinte. No entanto, durante a investigação, é vítima de um ataque brutal. Forçada a recuperar em casa, e com a sua vida pessoal a desmoronar-se, tudo parece estar contra ela. Mas nada detém Erika. À medida que o número de corpos aumenta, as filhas gémeas de um colega, o comandante Marsh, são raptadas, e é o tudo por tudo. Conseguirá Erika salvar a vida de duas crianças inocentes antes que seja demasiado tarde? Ela está a ficar sem tempo e prestes a fazer uma descoberta perturbadora... há mais de um assassino. Brilhante e emocionante, "Sangue-Frio" irá prendê-lo desde a primeira página e fazê-lo suster a respiração até chegar a um final arrebatador. «Uau! Outro fantástico livro de Robert. É tão bom ter esta detetive de novo na minha vida. Ela traz-nos uma sensação de calma, esperteza e poder feminino... uma ótima personagem.» Trisha’s Blog «O melhor thriller que li nos últimos tempos, e li alguns bons... Do melhor que há, e para mim fantástico. Adorei.» Goodreads Reviewer, 5 estrelas «Adoro a escrita de Robert Bryndza, e a série Erika Foster é provavelmente a melhor série de detetives de todos os tempos!… Uau, uau, uau!! Erika está de volta em grande!» Stardust Book Reviews «Excelente… Estes livros deviam vir com o aviso de que, assim que os começamos a ler, não conseguimos largá-los.» Jen Med's Book Reviews, 5 estrelas

O Manuscrito

Título: O Manuscrito
Autor: John Grisham (Autor)
Editora: Bertrand Editora
Sinopse: Um bando de ladrões realiza um ousado assalto a um cofre de alta segurança que fica sob a biblioteca da Universidade de Princeton. O espólio levado é de val Bruce Cable é dono de uma livraria muito popular na povoação de Santa Rosa, em Camino Island, na Florida. Mas o dinheiro a sério vem da sua atividade como negociante de livros raros. Poucos são os que sabem que, de vez em quando, ele entra no mercado negro de livros e manuscritos roubados. Mercer Mann é uma jovem escritora que sofre de um caso sério de bloqueio criativo e que acaba de ser despedida da escola onde dava aulas. Quando uma mulher elegante e misteriosa lhe oferece uma generosa maquia para que ela se infiltre no círculo literário de Bruce Cable, ela aceita. Só que Mercer acaba por vir a saber demais e é aí que os problemas começam nessas paragens paradisíacas…

Trilogia DNA - Livro 1: O Legado

Título: Trilogia DNA - Livro 1: O Legado
Autor: Yrsa Sigurdardóttir
Editora: Quetzal Editores
Sinopse: Uma jovem mulher é brutalmente assassinada na sua casa, em Reiquejavique. A única testemunha é a filha de sete anos, mas a criança não fala. Quando uma segunda mulher é assassinada, a polícia fica literalmente sem saber o que fazer. Entretanto, um radioamador recebe mensagens peculiares que o põem em conexão com as mulheres assassinadas, e a curiosidade move-o a começar uma investigação por conta própria. Huldar, o detetive responsável por este caso, e Freyia, a psicóloga que tem a cargo a miúda – que presenciou o homicídio –, são obrigados a trabalhar em conjunto. Mas esta colaboração não é fácil: poucas semanas antes tinham-se conhecido num bar e passado a noite juntos, e, na manhã seguinte, ao acordar, Freyia constatara, dececionada, que Huldar – que se dera a conhecer não como polícia, mas como um carpinteiro recém-chegado à cidade – se eclipsara. Autora cimeira do supense (e dos tops de vendas) na Escandinávia e em todo o Mundo, Yrsa Sigurdardóttir mostra mais uma vez a sua competência na criação de uma história de grande ritmo narrativo, personagens inesquecíveis e uma intriga de grande inteligência. "O Legado" é o primeiro livro da «Trilogia DNA», também conhecida como «série Freyia e Huldar». Seguir-se-ão "O Vortex" e "A Absolvição".

O Amor da Minha Vida

Título: O Amor da Minha Vida
Autor: Clare Empson
Editora: Edições Asa
Sinopse:  Catherine deixou de falar. Algo a perturbou de tal forma que não consegue comunicar. Ninguém sabe o que foi. Para a ajudarem, os médicos terão de desvendar esse mistério. E começar pelo seu passado… por ele. Lucian. O grande e único amor de Catherine, a quem ela abandonou uma noite, sem qualquer explicação, estilhaçando a vida de ambos. Anos depois, Catherine e Lucian voltam a encontrar-se. Tudo pode acontecer pois a paixão que os uniu mantém-se… mas sobre eles pesa ainda o segredo daquela noite fatídica. Catherine sabe que chegou o momento de o revelar. Será a verdade capaz de salvar este amor imenso que nem o tempo conseguiu esmorecer? Ou irá destruí-los de novo, arrastando-os irremediavelmente para o abismo? O que acontece a seguir está na origem do silêncio de Catherine. O que acontece a seguir… é a única coisa que ninguém podia prever.

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Pátria, retrato sobre os anos de chumbo da ETA, vence Prémio Giuseppe Tomasi di Lampedusa

segunda-feira, 9 de julho de 2018
Romance Pátria galardoado com mais um prémio em Itália 
Fernando Aramburu vence Prémio Giuseppe Tomasi di Lampedusa 
O romance Pátria, do escritor basco Fernando Aramburu, que a Dom Quixote editou já este ano, venceu, ontem, 2 de julho, a XV.ª edição do prestigiado Prémio Literário Giuseppe Tomasi di Lampedusa International , que, em edições anteriores, premiou obras de escritores como Claudio Magris, Kazuo Ishiguro, Amos Oz, Mario Vargas Llosa, Javier Marías, Fleur Jaeggy, Emmanuel Carrère or Orhan Pamuk, entre outros.
Prémio Nacional da Crítica em Espanha, país onde vendeu 700 mil exemplares, Pátria foi descrito pelo júri como “comovente". O retábulo definitivo de mais de três décadas da vida no País Basco editado no ano em que se assinala meio século do primeiro atentado cometido pela organização terrorista ETA foi profusamente elogiado pela crítica. “Há muito tempo que não lia um livro tão convincente e tocante, tão inteligentemente concebido”, escreveu o Nobel da Literatura, Mario Vargas Llosa, no jornal El País, quando o romance foi publicado em Espanha.
“Chaga-me, de novo, de Itália, uma alegria e uma honra. Estou muito feliz por ter sido premiado com o Prémio Giuseppe Tomasi di Lampedusa 2018”, escreveu o escritor nas redes sociais, que viajará, em Agosto, para receber o prémio que homenageia o autor de O Leopardo. Em Maio, Aramburu já tinha vencido o Premio Strega Europeu atribuído igualmente em Itália.
Pátria narra a luta da ETA pela voz de duas mulheres de famílias amigas que se tornam rivais. No dia em que a organização anuncia o abandono das armas, Bittori dirige-se ao cemitério para, na sepultura do marido, Txato, assassinado pelo grupo, para lhe contar que decidira voltar à casa onde os dois tinham vivido. Mas poderá ela conviver com aqueles que a perseguiram antes e depois do atentado que transtornou a sua vida e a da família? Poderá saber quem foi o encapuzado que num dia chuvoso matou o marido, quando este regressava da sua empresa de transportes? Por mais que chegue às escondidas, a presença de Bittori alterará a falsa tranquilidade da terra, sobretudo a da vizinha Miren, amiga íntima noutros tempos, e mãe de Joxe Mari, um terrorista encarcerado e suspeito dos piores receios de Bittori. O que aconteceu entre essas duas mulheres? O que envenenou a vida dos filhos e dos respetivos maridos, tão unidos no passado? Com lágrimas escondidas e convicções inabaláveis, com feridas e coragem, a história arrebatadora das suas vidas, antes e depois da tormenta que foi a morte de Txato, fala da impossibilidade de esquecer e da necessidade de perdoar numa comunidade fragmentada pelo fanatismo político.
Fernando Aramburu é já considerado um dos narradores mais destacados de língua espanhola. Vive desde 1985 na Alemanha, mas nasceu em San Sebastian.

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Jill Santopolo

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Jill Santopolo era aluna na Universidade de Columbia a 11 de setembro de 2001. Desde então, concluiu um mestrado em Ficção e construiu uma carreira de grande sucesso no mundo da literatura infantil e juvenil. Além de trabalhar no mundo da edição, é professora adjunta do programa de escrita criativa em The New School, Nova Iorque. Uma das suas paixões é viajar pelos EUA, pelo Canadá e pela Europa para falar sobre escrita e narração de histórias.

quarta-feira, 4 de julho de 2018

O que Fica Somos Nós

quarta-feira, 4 de julho de 2018
"O que fica somos nós" é um romance forte, com uma escrita muito bem conseguida em que o dificil é mesmo parar de ler.
Recomendo.



Ficha Técnica
Título - O que Fica Somos Nós
Autor - Jill Santopolo
Editora - Suma de Letras
ISBN - 9789896655488
Género - Romance
Sinopse - Numa luminosa manhã de fim de Verão, Lucy e Gabe encontram-se na universidade, em Nova Iorque, e apaixonam-se. Parece o começo de uma história como muitas outras, mas estamos a 11 de setembro de 2001 e, enquanto a cidade está envolta em poeira e detritos, eles beijam-se e trocam promessas. Assumem que têm de encontrar um significado para as suas vidas, tirar proveito dela, deixar uma marca. Jovens e apaixonados, pareciam ter o mundo a seus pés. Não esperavam que os seus próprios sonhos os separassem. Mas Gabe aceita trabalhar como fotógrafo de imprensa no Médio Oriente e Lucy decide continuar a sua carreira em Nova Iorque.
Treze anos depois, Lucy está numa encruzilhada. Sente a necessidade de revisitar as épocas fundamentais do seu relacionamento com Gabe, marcado por escolhas que os conduziram por diferentes caminhos, ao longo de diferentes vidas. Escolhas que, no entanto, nunca romperam o vínculo profundo que os une. Então, é chegado o momento, naquele dia... Lucy mantém um último segredo, e é hora de o revelar a Gabe. Todas as suas escolhas os conduziram até ali. Agora, uma última escolha decidirá o seu futuro.
Um romance comovente sobre o poder imperecível do primeiro amor com um final inesquecível.

segunda-feira, 4 de junho de 2018

NOVIDADES EDITORIAIS - OS LIVROS DE JUNHO LEYA

segunda-feira, 4 de junho de 2018
O Fundo da Gaveta, de Vasco Pulido Valente (DOM  QUIXOTE)
Novo livro de Vasco Pulido Valente é colocado à venda a 19 de junho, com apresentação pública a 28 de Junho, na Livraria Leya na Buccholz. A Monarquia Constitucional portuguesa explicada por VPV. Num primeiro ensaio, A Contra-Revolução, esclarece como D. Miguel falhou a tentativa de restaurar o absolutismo. Com o irmão, D. Pedro IV, precipitou o país para as Guerras Liberais. Ressurreição e Morte do Radicalismo, o segundo ensaio, descreve a posterior tentativa falhada de modernização do país, que não conseguiu reformar o Estado, fazer a economia crescer e educar a sociedade. Assim se conduziu o país para uma nova revolução, a republicana, de 1910. Com o seu estilo inconfundível, O Fundo da Gaveta é uma descrição brilhante do Portugal oitocentista e uma poderosa metáfora do nosso país.

O Nosso Avô Foi à Guerra, de Clemente e Nuno Rogeiro (DOM QUIXOTE)
Cem anos depois, Clemente e Nuno Rogeiro descobriram o diário do avô na I Guerra Mundial. Investigaram também vários aspectos menos conhecidos do conflito: da espionagem sobre Portugal ao papel das forças especiais alemãs (as «Unidades Röhr»), da desmontagem de mitos sobre Tancos e La Lys aos reais segredos da nossa entrada em combate, com recurso a novas fontes e arquivos. Joaquim Simões Costa acabou a Grande Guerra como tenente do exército português, na arma de infantaria. Foi um dos primeiros militares a entrar nas trincheiras, na primeira linha, face ao inimigo, em Ferme du Bois. No Dia de Santo António, em 1917, ainda sargento, tombou gravemente ferido. Por iniciativa sua, a subunidade que comandava desobedeceu a ordens de retirada, e resistiu mais uma hora, para dar tempo à entrada em acção da nossa artilharia. À venda a 12 de Junho

Surf (ing) The Next Step, de António Pedro Sá Leal e André Carvalho (Casa das Letras)
Guia para ajudar a aperfeiçoar o teu surf porque embora o acesso ao desporto esteja cada vez mais facilitado, quer seja através das escolas, quer da acessibilidade ao material de surf (pranchas, fatos, etc), não assistimos a uma melhoria no nível dentro de água; pelo contrário, vemos cada vez mais surfistas perdidos no mar, sem tirar realmente prazer das ondas e do surf. As escolas de surf preparam para deslizar numa onda mas falham porque não explicam aos seus alunos como devem entrar na água, sair, posicionar-se no pico ou mesmo como ler uma previsão e decidir onde vão surfar.

Sexo, Drogas e Selfies (SDS), de Francisco Salgueiro (Oficina do Livro)
O autor de O Fim de Inocência – livro transformado em filme no ano passado – regressa com a história da Joana, de 15 anos, que quer repetir todas as experiências de Inês (a personagem principal desse livro). Perdeu a virgindade aos 12 anos e é uma das raparigas mais populares do colégio. Ela e as amigas, aparentemente perfeitas para os pais, escondem um dia-a-dia de sexo com estranhos, sem preservativo, e muitas drogas. Noites levadas ao limite para contornarem o aborrecimento de um quotidiano em que estão sempre agarradas ao telemóvel. É o retrato de uma geração que não vive o momento porque cada instante só lhes parece real se for registado pela câmara de um telemóvel. É a geração que depende das selfies e dos likes.  À venda a 12 de junho.


quinta-feira, 31 de maio de 2018

Feira do Livro de Lisboa

quinta-feira, 31 de maio de 2018
Está a decorrer no Parque Eduardo VII em Lisboa a 88.ª edição da Feira do Livro de Lisboa.
Podem acompanhar as novidades na página oficial do evento.
Não deixem de passar por lá até 13 de junho.



Histórias Transmitidas © 2014