segunda-feira, 4 de junho de 2018

NOVIDADES EDITORIAIS - OS LIVROS DE JUNHO LEYA

segunda-feira, 4 de junho de 2018
O Fundo da Gaveta, de Vasco Pulido Valente (DOM  QUIXOTE)
Novo livro de Vasco Pulido Valente é colocado à venda a 19 de junho, com apresentação pública a 28 de Junho, na Livraria Leya na Buccholz. A Monarquia Constitucional portuguesa explicada por VPV. Num primeiro ensaio, A Contra-Revolução, esclarece como D. Miguel falhou a tentativa de restaurar o absolutismo. Com o irmão, D. Pedro IV, precipitou o país para as Guerras Liberais. Ressurreição e Morte do Radicalismo, o segundo ensaio, descreve a posterior tentativa falhada de modernização do país, que não conseguiu reformar o Estado, fazer a economia crescer e educar a sociedade. Assim se conduziu o país para uma nova revolução, a republicana, de 1910. Com o seu estilo inconfundível, O Fundo da Gaveta é uma descrição brilhante do Portugal oitocentista e uma poderosa metáfora do nosso país.

O Nosso Avô Foi à Guerra, de Clemente e Nuno Rogeiro (DOM QUIXOTE)
Cem anos depois, Clemente e Nuno Rogeiro descobriram o diário do avô na I Guerra Mundial. Investigaram também vários aspectos menos conhecidos do conflito: da espionagem sobre Portugal ao papel das forças especiais alemãs (as «Unidades Röhr»), da desmontagem de mitos sobre Tancos e La Lys aos reais segredos da nossa entrada em combate, com recurso a novas fontes e arquivos. Joaquim Simões Costa acabou a Grande Guerra como tenente do exército português, na arma de infantaria. Foi um dos primeiros militares a entrar nas trincheiras, na primeira linha, face ao inimigo, em Ferme du Bois. No Dia de Santo António, em 1917, ainda sargento, tombou gravemente ferido. Por iniciativa sua, a subunidade que comandava desobedeceu a ordens de retirada, e resistiu mais uma hora, para dar tempo à entrada em acção da nossa artilharia. À venda a 12 de Junho

Surf (ing) The Next Step, de António Pedro Sá Leal e André Carvalho (Casa das Letras)
Guia para ajudar a aperfeiçoar o teu surf porque embora o acesso ao desporto esteja cada vez mais facilitado, quer seja através das escolas, quer da acessibilidade ao material de surf (pranchas, fatos, etc), não assistimos a uma melhoria no nível dentro de água; pelo contrário, vemos cada vez mais surfistas perdidos no mar, sem tirar realmente prazer das ondas e do surf. As escolas de surf preparam para deslizar numa onda mas falham porque não explicam aos seus alunos como devem entrar na água, sair, posicionar-se no pico ou mesmo como ler uma previsão e decidir onde vão surfar.

Sexo, Drogas e Selfies (SDS), de Francisco Salgueiro (Oficina do Livro)
O autor de O Fim de Inocência – livro transformado em filme no ano passado – regressa com a história da Joana, de 15 anos, que quer repetir todas as experiências de Inês (a personagem principal desse livro). Perdeu a virgindade aos 12 anos e é uma das raparigas mais populares do colégio. Ela e as amigas, aparentemente perfeitas para os pais, escondem um dia-a-dia de sexo com estranhos, sem preservativo, e muitas drogas. Noites levadas ao limite para contornarem o aborrecimento de um quotidiano em que estão sempre agarradas ao telemóvel. É o retrato de uma geração que não vive o momento porque cada instante só lhes parece real se for registado pela câmara de um telemóvel. É a geração que depende das selfies e dos likes.  À venda a 12 de junho.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Histórias Transmitidas © 2014